Folha de Ribeirão Pires


05/02/2019 09:51 - Polícia

Corpo de médica cubana assassinada é encontrado enterrado na Estância

O marido da vítima assumiu a autoria do crime e indicou aos policiais o local onde havia deixado o corpo da esposa

Dailton Gonçalves e Laidys Sosa eram casados e moravam em Mauá / Foto:Reprodução/Facebook O corpo da médica cubana assassinada pelo próprio marido na tarde do último domingo (3), em Mauá, foi encontrado enterrado em uma mata na Estrada dos Fernandes, em Ribeirão Pires. Segundo informações, policiais do 30º Batalhão da PM de Mauá chegaram até o local após o próprio marido confessar o crime e indicar onde havia enterrado a esposa.  Laidys Sosa Ulloa Gonçalves, de 37 anos, foi morta a golpes de chave de fenda dentro de casa, no Jardim Olinda,  durante uma discussão com o marido, o vigilante Dailton Gonçalves Ferreira.  
 
Familiares de Laidys acionaram a Polícia Militar e avisaram que Ferreira havia matado a mulher e fugido em seu veículo. A Polícia conseguiu chegar até o assassino por meio do Programa Radar, que localiza o veículo através de câmeras de radares. Ferreira trefegava pela Estrada do Fernandes, próximo da área onde havia enterrado o corpo da médica.  
 
Dailton assumiu a autoria do crime no momento da abordagem policial.  A chave de fenda utilizada no crime foi apreendida na residência do casal. 
 
Laidys Sosa era natural de Havana, em Cuba. Formada em Medicina,  veio ao Brasil para trabalhar no Programa Mais Médicos.  
 
Dailton foi encaminhado ao 1ºDP de Mauá, onde foi indiciado por homicídio qualificado, com agravantes de feminicídio e ocultação de cadáver.
 
A médica cubana deixa um filho, de apenas um ano e cinco meses, do relacionamento com  o vigilante. 
 
Outro caso 
 
No final do ano passado, Ribeirão Pires também registrou um feminicídio, a vítima foi Mara Helena dos Reis, de 51 anos, morta às véspera do Natal pelo companheiro. 
 
Segundo os registros policiais, o acusado praticou o crime em uma chácara localizada no bairro Jardim Novo, onde deixou o corpo e fugiu para cidade de Juquitiba, onde foi preso e confessou o crime. 
 
Em depoimento aos policiais o acusado disse que matou a mulher após uma discussão por “motivos fúteis”, e em determinado momento pegou uma faca de cozinha e a matou. Após o ataque o homem fugiu utilizando o carro da vítima. 
 
Ainda em Juquitiba, disse aos policiais o local onde estava o corpo da companheira: em uma sala da casa da chácara denominada "La Paz". 
 
O assassino segue preso.


Vítimas de feminicídio aumentam em SP


Segundo dados apresentados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), o número de mulheres vítimas de feminicídio obteve um aumento de 26,6% em 2018.
 
Um levantamento feito Ministério Público revela que 45% dos casos são cometidos por ex-companheiros que não aceitam o fim do relacionamento. 
 
Na Capital Paulista, entre os meses de janeiro e novembro de 2018, foram registrados 8.814 agressões - uma média de mais de 26 casos por dia. 
 
Os índices alarmantes de violência contra a mulher ainda mostram que nos cinco primeiros dias de 2019, cinco mulheres foram brutalmente assassinadas por seus atuais e ex-companheiros, e por motivo torpe.
 

+21
+22°
+16°
Ribeirao Pires
Terça-Feira, 24