Folha de Ribeirão Pires


10/08/2018 10:35 - Especial

Um pai que divide seu amor pelo filho de sangue, especial e adotivo

Márcio Gomes relata a emoção de ser pai e a convivência com os filhos

Marcio com sua esposa e seus três filhosDomingo é comemorado o Dia dos Pais onde os filhos homenageiam o seu herói com presentes, abraços e beijos. Mas o grande presente mesmo dos pais são seus filhos. E hoje vamos contar a história de um pai que superou seu amor. Além de sua filha de sangue, esse pai assumiu o filho de sua atual esposa com deficiência e depois de alguns anos o casal resolveu adotar uma criança, que na época tinha seis anos. Com vocês a história de Márcio Gomes Cruz de La Vega, mais conhecido como Biskate.
 
Márcio teve uma filha de seu primeiro relacionamento, Alaina Sousa Cruz, hoje com 21 anos na qual sempre está presente em sua criação.
 
Em 2010 conheceu sua atual esposa, Marisa Vicente, que já tinha um filho especial de outro relacionamento, Rodrigo de La Vega, na época com 16 anos.
 
“Conheci a Marisa em uma reunião de família e o Rodrigo estava junto com ela. Pode acreditar, foi amor a primeira vista dos dois. Ele era uma pessoa muito reservada, mas nesse primeiro encontro teve muita empatia comigo. A minha mulher até estranhou, pois o Rodrigo nunca tinha essa atitude de se aproximar tão rápido de uma pessoa. Até me cumprimentou com um aperto de mão”, lembra.
 
Um ano após conhecer mãe e filho, Marcio casou com Marisa e o amor entre Rodrigo e ele só aumentou.
 
“Durante estes oito anos de convivência entre eu e o meu filho, fomos descobrindo juntos como enfrentar dificuldades de ter uma pessoa especial na família. E acrescento, ele mais me ensina do que eu a ele, mas devido ao meu jeito brincalhão de ser, ele também aprendeu a ter uma personalidade mais alegre”.
 
Passados três anos do casamento, Marcio e Marisa perceberam que o Rodrigo gostaria de ter mais um irmão. A partir daí começaram a pesquisar sobre a adoção.
 
“Em março de 2014 fomos ao Fórum na Vara da Infância e Juventude onde fomos instruídos a fazer um cadastro e nossa intenção seria uma criança entre 4 a 7 anos de idade”.
 
Depois de nove meses do cadastro, o casal teve a notícia que estava apto para adotar uma criança.
 
Em novembro do mesmo ano a família soube que havia uma criança no perfil solicitado, na qual ele havia passado por vários sofrimentos.
 
“Não pensamos duas vezes. A primeira vez que vimos ele, já me chamou de pai. Foi uma emoção incrível e a partir daí, foram várias visitas e correndo contra o tempo para termos ele nas festas de final de ano. Conseguimos a guarda definitiva na véspera de recesso do Forum”.
 
Ede Wilson, hoje com 10 anos, o filho escolhido pelo casal e também por Rodrigo, é uma benção para a família. 
 
“Desde o primeiro dia em casa Rodrigo e Ede além de irmãos, são muito amigos e não se separam. A Alaina também entra na bagunça com os irmãos. Fizemos a escolha certa em adotar. sou grato pelos meus três filhos. Um amor que não tem limites e recebo deles tudo de melhor que um pai pode esperar. Todos os dias tento ser o melhor pai para eles”.

+21
+22°
+16°
Ribeirao Pires
Terça-Feira, 24