Folha de Ribeirão Pires


05/02/2019 09:35 - Editorial

Um ano fundamental para o Executivo Municipal

2019 começou nas Câmaras Legislativas da região. Vereadores retomam as sessões ordinárias, e os prefeitos se movimentam para garantir um ano mais calmo, voltado para a aprovação dos seus projetos.
 
Em Ribeirão Pires o prefeito Kiko Teixeira (PSB) movimentou o tabuleiro. No final do ano passado emplacou o sobrinho Rato Teixeira (PTB) como presidente da Casa de Leis, e na semana passada anunciou a troca do Líder de Governo, sai Pastor Silvino de Castro (PRB) para entrada de Amaury Dias (PV).
 
Com a manobra Kiko tenta garantir a aprovação de projetos e segurar a oposição que virá através dos parlamentares Amigão D’Orto (PTC) e Rubão (PSD).
 
Mais que o presidente, Kiko joga todas as fichas em Amaury Dias, busca no novo líder o que faltou no passado, diálogo com os vereadores e compreensão do proposto pelo Paço. No último ano, o mandatário da Estância teve inúmeras dificuldades junto a Câmara por manter nos diálogos interlocutores despreparados e sem visão política, levando a derrotas importantes, ocasionando atrasos de projetos e investimentos.
 
Se por um lado o prefeito da Estância busca a paz, ainda sem saber se terá, o chefe do Executivo da cidade vizinha Rio Grande da Serra está navegando em águas calmas, mesmo em anos anteriores não sofria com grandes rebeldias na Casa de Leis, mas foi hábil para evitar que em 2019 o mar poderia se tornar revolto, sacou da Casa o vereador Claurício Bento (DEM), que já havia anunciado ser oposição ao Governo, e lhe encaminhou para Secretaria de Administração. A jogada de Maranhão (sem partido) evita o fortalecimento da oposição, hoje limitada ao vereador petista Benedito Araújo.
 
Agora é aguardar o início dos trabalhos nas Câmaras Municipais para ver se as apostas de Kiko e as de Maranhão foram acertadas.
 

Filtre matérias de Editorial em:

  • Ribeirão Pires
  • Rio Grande da Serra
  • São Paulo
  • Mauá
  • +21
    +22°
    +16°
    Ribeirao Pires
    Terça-Feira, 24