Folha de Ribeirão Pires


23/04/2013 09:10 - Artigo

Segurança no estádio de futebol

Em 2014 o Brasil sediará o evento mais importante do futebol: a Copa do Mundo. Contudo a violência nos estádios é um fator preocupante. Pesquisas mostram o Brasil na liderança de mortes em confrontos de torcidas dentro, no entorno ou nos acessos aos estádios de futebol. O fato de o país estar ocupando o trágico primeiro lugar no número de óbitos em conflitos de torcedores deve-se ao fato de não ter ocorrido aqui uma reação forte a esse tipo de violência, tal como fez a Itália, promovendo reformas na legislação até para punir os dirigentes que incitam a violência.
 
O problema de violência das torcidas existe há muito tempo e é decorrente da falta de uma infraestrutura e regras mais rígidas para o acesso dos torcedores aos estádios. Por isso, agora estamos diante de um fato ocorrido na Bolívia e com enorme repercussão internacional, envolvendo torcedores de um clube brasileiro. Embora proibidos, os fogos de artifícios costumam marcar presença nos estádios de futebol. Na ânsia de apoiar o time, torcidas inteiras se organizam para oferecer verdadeiros espetáculos pirotécnicos. Bonito de se ver, mas muito perigoso.
 
Um ponto positivo é que o Tribunal de Justiça de São Paulo anunciou recentemente novas medidas para impedir o uso de fogos de artifícios, sinalizadores e afins no futebol de São Paulo. Caso esses projéteis sejam lançados nos estádios, o árbitro terá a obrigação de paralisar o jogo temporariamente, comunicar o delegado da partida e o policiamento, que deverão identificar de onde partiu o lançamento. O Brasil está empenhado em fazer uma boa realização da Copa do Mundo, está construindo novos estádios, é o melhor momento para, junto com as novas arenas, criar um conceito de segurança e monitoramento que reconduza os torcedores brasileiros que aos poucos estão abandonando os campos de futebol. 
 
Mas não bastam somente os estádios, é preciso transformar o conceito, garantindo, acima de tudo, segurança aos torcedores. Para combater essa violência em curto prazo, são importantes ações mais repressivas como a proibição da venda de bebidas alcoólicas nos estádios, o controle da venda de ingressos, proibindo a ação de cambistas, o aumento da oferta do transporte coletivo principalmente na saída dos estádios e, principalmente maior e melhor fiscalização no acesso dos torcedores aos estádios.

Orlando Morando, 
deputado estadual pelo PSDB

+21
+22°
+16°
Ribeirao Pires
Terça-Feira, 24