Folha de Ribeirão Pires


13/03/2018 10:04 - Política

Prefeitura de RP recorre para não pagar reajuste

Mesmo perdendo na Justiça, Kiko Teixeira está recorrendo para não pagar dissídio atrasado

Prefeito de Ribeirão Pires não pagou o dissídio o ano passado A Prefeitura de Ribeirão Pires está recorrendo das ações impetradas por servidores municipais que buscam na Justiça receber o dissídio dos anos de 2016 e 2017, não pagos pela Administração da Estância.  
 
Procurada pela reportagem da Folha, a Administração do prefeito Kiko Teixeira (PSB), não tratou sobre o tema, bem como, não se posicionou se vem pagando os processos perdidos na Justiça. 
 
A Folha procurou alguns dos servidores que tiveram vitória em 2ª instância, esses disseram que o Paço vem recorrendo nas ações. 
 
“Eles (Prefeitura) perderam em 1ª e 2ª instâncias, e recorreram, mas acredito que na última teremos o ganho definitivo”, disse uma servidora que impetrou ação no judiciário. 
 
Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Prefeitura de Ribeirão Pires (SindServ), já foram instaurados cerca de 40 processos na Justiça, desses, 3 já obtiveram resultados favoráveis aos funcionários públicos. O Sindicato dos Trabalhadores na Educação de Ribeirão Pires (Sineduc), informou que até o momento 21 ações foram julgadas procedentes, das quais quatro já foram confirmadas pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, existem ainda 38 que aguardam serem julgadas. 
 
A Justiça tem determinado que a Prefeitura faça a correção no salário dos servidores que já tiveram ganho de causa, também determinou o pagamento das diferenças devidas desde a data que deveria ter havido o pagamento da revisão até a data do efetivo pagamento, tudo com as correções. 
 
O servidor que tiver interesse em ingressar na Justiça com ações individuais para o recebimento do dissídio deve procurar o sindicato ao qual é associado.
 

+21
+22°
+16°
Ribeirao Pires
Terça-Feira, 24