Folha de Ribeirão Pires


13/12/2018 09:44 - Polícia

Mauá volta a ser alvo da Polícia Federal

Documentos estão sendo apreendidos na Prefeitura e Câmara MunicipalA Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (13/12), a Operação Trato Feito, para investigar uma organização criminosa voltada para o desvio de recursos públicos em contratos firmados com o Município de Mauá. A investigação é um desdobramento da Operação Prato Feito, deflagrada em maio deste ano.

Cerca de 234 policiais federais cumprem 2 mandados de prisão preventiva (do prefeito Atila Jacomussi e de João Gaspar) e 54 mandados de busca e apreensão, incluindo os gabinetes de 22 dos 23 vereadores da cidade. O prefeito foi afastado do cargo, um contrato com suspeita de fraude foi suspenso e nove empresas foram proibidas judicialmente de contratar com a Administração Pública. Todas as medidas foram decretadas, a pedido da PF, pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

O inquérito policial foi instaurado a partir de informações trazidas aos investigadores durante a análise do material apreendido na Operação Prato Feito, que apontavam oito crimes, além dos que estavam sendo apurados. Os novos elementos trazidos aos autos indicam um esquema em que nove empresas pagavam vantagens ilícitas a agentes públicos e políticos para a compra de apoio na Câmara Municipal de Mauá, sobretudo para a obtenção de contratos superfaturados.

A Operação Prato Feito investigou o desvio de recursos públicos em contratos de diversos municípios, sobretudo aqueles destinados à merenda, uniformes e material escolar.

Os investigados responderão, na medida de suas condutas, pelos crimes de organização criminosa, fraude a licitações e corrupção ativa e passiva, com penas de 1 a 12 anos de prisão.

Haverá entrevista coletiva, às 11h, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo, localizado na Rua Hugo D’Antola, 95 – Lapa de Baixo.

+21
+22°
+16°
Ribeirao Pires
Terça-Feira, 24