Folha de Ribeirão Pires


14/12/2018 09:52 - Política

Mauá pagava R$ 500 mil por mês a vereadores

Prefeito Átila tem a segunda prisãoA Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (13/12), a Operação Trato Feito, para investigar uma organização criminosa voltada para o desvio de recursos públicos em contratos firmados com o município de Mauá. 
 
Foram cumpridos 54 mandados de busca e apreensão e 2 mandatos de prisão, o do prefeito Atila Jacomussi (PSB) e do ex-secretário de Governo, João Gaspar.
 
A operação atingiu ainda 22 dos 23 vereadores do município, acusados de receber propina para votar favorável ao Governo Municipal.
 
Segundo a Polícia Federal, empresas contratadas pela Administração serviam para levantar R$ 500 mil por mês, destinados ao pagamento dos vereadores e do prefeito.
 
O inquérito policial foi instaurado a partir de informações trazidas aos investigadores durante a análise do material apreendido na Operação Prato Feito, que apontavam oito crimes, além dos que estavam sendo apurados. 
 
Os novos elementos trazidos aos autos indicam um esquema em que nove empresas pagavam vantagens ilícitas a agentes públicos e políticos para a compra de apoio na Câmara Municipal de Mauá, sobretudo para a obtenção de contratos superfaturados.
 
A investigação é um desdobramento da Operação Prato Feito, deflagrada em maio deste ano, voltada a apurar o desvio de recursos públicos em contratos de diversos municípios, sobretudo aqueles destinados à merenda, uniformes e material escolar, que levou o prefeito pela primeira vez à prisão.
 

+21
+22°
+16°
Ribeirao Pires
Terça-Feira, 24