Folha de Ribeirão Pires


16/10/2018 09:35 - Editorial

É hora de realinhar o futuro político

O resultado das urnas veio como um tsunami para os políticos brasileiros. Figuras conhecidas e carimbadas não conseguiram a reeleição e a renovação no Senado, Câmara Federal e Assembleia Legislativa surpreendeu até os mais céticos. O povo recusou a velha forma de se fazer política e apostou no novo, se dará certo? Só o tempo dirá.
 
O aviso das urnas foi um recado direto aos políticos da região que já buscam reavaliar posições e grupos políticos na tentativa de continuar contando com o apoio popular. 
 
A primeira mudança veio de Rio Grande da Serra com o pedido de desfiliação de Claudinho da Geladeira do Partido dos Trabalhadores. Militante histórico, o político deixou o barco tendo em vista a alta rejeição da legenda. Não quer navegar em mares revoltos.
 
Outro sinal de que haverá posicionamentos em busca de alinhar o nome ao “novo” vem sendo dado pela Câmara de Vereadores de Ribeirão Pires. Parlamentares já iniciaram a “tirada de pé” do Governo Municipal. A baixa votação conquistada pelos candidatos a deputados apoiados pelo Paço levou legisladores a repensar apoios.
 
Reflexo imediato veio de Amigão D’Orto (PTC), postulante ao cargo de chefe do Executivo “falou grosso” com o Governo na sessão da última quinta-feira, cobrando posicionamento em favor da população. Outros vereadores seguem o mesmo caminho:
Amaury Dias (PV), Danilo da Sopa (PSB), Rubão (PSD) e Edmar Aerocar (PV) são alguns exemplos de realinhamento político.
 
As urnas trouxeram mais do que simples eleitos e perdedores, colocaram os dirigentes partidários e de governos no sinal vermelho. 
 
Em 2020 quem não conseguir entregar o que o povo espera, bay bay!
 

Filtre matérias de Editorial em:

  • Ribeirão Pires
  • Rio Grande da Serra
  • São Paulo
  • Mauá
  • +21
    +22°
    +16°
    Ribeirao Pires
    Terça-Feira, 24