Política

Ribeirão Luz recebeu R$ 4,7 milhões da Prefeitura

Valores são de pagamentos autorizados pelo prefeito Kiko Teixeira (PSB)

Imagem: Folha de Ribeirão Pires

Por

Humberto de Alencar Castelo Branco, Vila Sueli, umas das ruas  apagadas / Foto: DivulgaçãoO Consórcio Consladel - Jaw, responsável pela empresa Ribeirão Luz, recebeu entre 01 de janeiro de 2017 e 08 de abril de 2019, R$ 4.735.077,76, por serviços de manutenção e ampliação da rede de iluminação pública do município. Os valores estão no Portal da Transparência.
 
A empresa, apesar de colecionar reclamações, e por inúmeras vezes, deixar de executar o contrato, não sofreu nenhuma penalidade por parte do Executivo, o prefeito Kiko Teixeira (PSB) manteve os pagamentos, mesmo com a cidade ficando parcialmente às escuras.
 
A falta de comprometimento da Ribeirão Luz com a população da cidade não é de hoje. Ao assumir o mandato, Kiko  determinou em janeiro de 2017 que a empresa reestabelecesse o serviço, para tanto pagou R$ 624.292,36 e empenhou outros R$ 600 mil para pagamentos atrasados, mesmo assim, pouco adiantou.
 
Da posse até os dias atuais, o serviço continuou a ser feito de forma deficitário, mas os pagamentos continuaram, totalizando os R$ 4,7 milhões.
 
Como ocorrido no ano de 2016 e 2017, em 2018 a população voltou a se revoltar quando em dezembro a cidade voltou a ficar às escuras, problema que permanece recorrente até hoje.
 
Na edição da última sexta-feira, a Folha deu como matéria de capa os apagões em ruas dos bairros da Estância, mais uma vez, a Prefeitura de Ribeirão Pires não tratou sobre o tema.
 
A insistência de Kiko em manter a Ribeirão Luz na cidade vem de uma relação pessoal com o empresário José Carlos Orosco Júnior, que a pedido de Kiko teria agido na eleição de 2017 para vetar que um parlamentar, até então, oposição ganhasse a Mesa Diretora. O irmão de Orosco, Guilherme era o coordenador da Ribeirão Luz quando do início da gestão do prefeito Kiko Teixeira.

Mais lidas agora

Mais Política