Editorial

A Sabesp no banco dos réus

Da Folha de Ribeirão Pires

Não é de hoje que vereadores de Rio Grande da Serra prometem “engrossar” com a Sabesp. As reclamações se repetem: problemas no abastecimento, cobrança indevida da coleta de esgoto e obras de péssima qualidade promovida por empresas terceirizadas contratadas pela concessionária.
 
Em 2018, devido às constantes reclamações por parte da população a Casa de Leis chegou a ensaiar a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI), proposta pelo vereador licenciado, Claurício Bento (DEM), mas não avançou. Constantes encontros com representantes da Sabesp e os vereadores ao que tudo indica também foram ineficazes.
 
Com o retorno do ano Legislativo, no início de fevereiro, boa parte da primeira sessão ordinária teve como alvo a fornecedora de água. Inúmeros vereadores se utilizaram da Tribuna e fizeram coro que os problemas do passado continuavam atingindo a população, e que era hora de agir. Para os legisladores não cabe mais conversa, e sim, um pedido de ação junto ao Ministério Público.
 
A indicação foi proposta à Mesa Diretora que atendeu aos apelos e determinou ao Departamento Jurídico estudos para viabilização da ação. A decisão foi comunicar o Ministério Público de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, indicação acatada pelo colegiado.
 
A decisão da Câmara de Vereadores de Rio Grande da Serra de deixar as palavras para indicar uma ação concreta precisa ser comemorada. Apesar de a Sabesp estar promovendo intervenções significativas em prol da melhoria no abastecimento e coleta de esgoto na cidade, a falta de água, em especial no Verão, já não é de hoje, entra ano, sai ano, e pouco muda.
 
Que a ação proposta por Rio Grande ganhe voz também em Ribeirão Pires, onde a população também sofre com os mesmos problemas, com uma diferença, na Estância poucos saem em defesa do povo. Cobrar é preciso!
 

Mais lidas agora

Mais Editorias