Política

Problema com OSS deixa Saúde na UTI e preocupa população

Rio Grande já enfrenta problema na Saúde em contrato com Organização Social

UPA de Rio Grande da Serra já enfrenta falta de médicos

Imagem:Redação

Por Redação

Falta de transparência e problema contratual com a organização de saúde que administra o serviço no município podem fazer com que a gestão da Saúde de Rio Grande da Serra pare neste início de novo mandato.

Porém, essa não é a vontade da secretária Maria José Pereira Zago. O que ela quer é transparência e o cumprimento do contrato. A Associação Assistencial da Saúde e Educação São Cristóvão (AASAESS) é a responsável pelo setor.

Segundo a Folha apurou, há atrasos no pagamento da Prefeitura para a entidade. No entanto, a nova gestão ainda não sabe ao certo de quanto é esse débito e por isso há relatos de falta de médicos nas Unidades Básicas de Saúde e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

“Como é nosso compromisso, a transparência irá prevalecer em nossa gestão. Infelizmente temos que comunicar que a Organização Social de Saúde contratada na gestão anterior para complementar e fazer gestão compartilhada em nossos serviços de Saúde, não está honrando as cláusulas contratuais. Desde quando assumimos estamos dialogando com a OSS e não logramos êxito. Eles não contratam médicos para atender na UPA, deixam um único médico no plantão, alegando que a gestão anterior não honrou as quitações de débitos anteriores e deixa o nosso munícipe com atendimento precário, colocando a população de Rio Grande sob risco. A partir de hoje a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde e demais secretarias envolvidas, não irá mais tolerar essa conduta por parte da OSS, irá tomar todas as medidas legais para sanear o problema. A Secretaria de Saúde não está medindo esforços para resolver definitivamente a questão com amparo técnico e legal”, diz a nota encaminhada pela Prefeitura, relatando a situação na qual foi encontrada o setor.

“Estamos buscando a legalidade de tudo. Nada está transparente. A Saúde não vai parar, porque vamos tomar ações legais para impedir”, finalizou a secretária, deixando claro que deverá acionar o Poder Judiciário para garantir o atendimento médico da população de Rio Grande da Serra.

Mais lidas agora

Últimas em Política