Policial

Operação “Tolerância Zero” da GCM prende três pessoas no Santa Rosa

Trio estava escondido em uma trilha próximo a escola municipal Yoshihiko Narita, onde realizava o comércio das substâncias

Os entorpecentes foram apreendidos e encaminhados ao DP da Estância

Imagem:Divulgação / GCM

Por Thainá Maria

A operação “Tolerância Zero” ao tráfico de drogas, deflagrada pela Guarda Civil Municipal da Estância no último sábado (24), resultou na prisão em flagrante de três pessoas e a apreensão de mais de 500 porções de entorpecentes, no Jardim Santa Rosa. Essa foi a segunda ocorrência atendida pelo efetivo em menos de uma semana. Na última quarta-feira (21), um jovem de 27 anos foi preso comercializando drogas pelas imediações da rua Paraisópolis - local conhecido por ser ponto recorrente de venda e consumo de entorpecentes no bairro.  

Os integrantes da GCM localizaram o trio após acessarem uma trilha existente em uma região de mata próxima a Escola Municipal Yoshihiko Narita. No local, estavam dois homens e uma mulher em atitude suspeita. Apesar de não portarem nada de ilícito, os agentes optaram por realizar buscas pelas proximidades, uma vez que o local onde o trio estava é conhecido por ser ponto de tráfico.  

Os guardas localizaram uma pochete escondida entre o mato com as substâncias preparadas para o comércio, a cerca de um metro onde os indiciados foram abordados. Ao todo, foram encontrados 201 invólucros de maconha, 177 porções de crack, 124 pinos de cocaína, 14 frascos de lança-perfume e quatro comprimidos de Ecstasy, além de anotações com as movimentações do tráfico e a quantia de R$166,50 provenientes das vendas.  

Um dos membros confessou ser o gerente do ponto de vendas de entorpecentes e que estava aguardando a chegada de uma carga que abasteceria o local. Segundo ele, seu comparsa seria o responsável pelas vendas no ponto e, naquele momento, era auxiliado pela mulher.  

Contrariando a primeira versão, o segundo envolvido alegou ter ido ao local para entregar uma marmita para a mulher. Enquanto ela argumentou o contrário, que entregaria uma marmita ao seu ex-companheiro e que estava em busca de uma residência para alugar no bairro. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, o gerente do ponto de vendas ainda pediu ao guardas que apagassem conteúdos existentes em seu aparelho celular que diziam respeito ao tráfico de drogas, o que foi negado pelos agentes.  

Diante das contradições nas versões apresentadas e a grande quantidade de substâncias encontradas, o trio foi levado à Delegacia de Ribeirão Pires, onde foi decretada a prisão em flagrante pelos delitos de drogas sem autorização e associação ao tráfico de entorpecentes, agravados por terem sido praticados nas proximidades de uma escola. O delegado de plantão também representou pela prisão preventiva dos indiciados, que serão encaminhados à Cadeia de Santo André.

Mais lidas agora

Últimas em Policial