Cidades

Família constrói pista de skate no quintal para atleta de RP treinar na quarentena

Principal objetivo da skatista de 13 anos é se classificar para os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiado por conta da pandemia

Pista foi construída pelos pais da atleta, com ajuda de amigos. Victoria Bassi, atleta da Seleção. Treinamento da skatista é realizado todos os dias

Imagem:Foto: Divulgação

Por Thainá Maria

Muitos skatistas sonham em ter sua própria pista em casa para realizar sua rotina de treinamento sem precisar se deslocar para lugares distantes. Esse sonho também era alimentado pela jovem atleta da seleção brasileira e moradora do Planalto Bela Vista, Victoria Bassi, de apenas 13 anos, e que recentemente tornou-se realidade graças aos esforços de seus pais.  

Em razão da pandemia, as pistas públicas em que a atleta costumava praticar foram interditadas, e os treinos suspensos de maneira forçada. “Eu tava sem treinar e não tinha espaço aqui em casa. Daí com o dinheiro que iam construir meu quarto e o quarto dos meus pais, eles decidiram fazer uma pista de skate na minha casa”, conta Victória à Folha.   

Mesmo sem atuar no ramo da construção, Deise Rodrigues de Souza e Thiago Bassi optaram por colocar a mão na massa literalmente e construir aquilo que seria não só o sonho da filha, mas também o principal instrumento para seu desempenho profissional enquanto atleta. “Quando nos mudamos para cá, meus pais tiveram que construir um cômodo em cinco dias. Então eles foram pesquisando no google, perguntando para uma pessoa mais experiente e foi assim que eles aprenderam a mexer com construção”, explica.  

A iniciativa dos pais de Victoria também contou com a colaboração de uma ação social de grafitti, que reuniu o coletivo de artistas do projeto “Arte Começa na Escola” e colaboradores responsáveis por dar cor e identidade ao novo local de treinamento da atleta. “Nós trabalhamos com 18 artistas. Fizemos o grafitti da pista, no muro do vizinho, na casa, no muro do vizinho da frente. Foi muito bacana”, contou Bueno. “Corremos atrás dos materiais para fazer alguns detalhes da pista, guarda-corpo, tela de proteção, tinta, tubo. Recebemos ajuda de bastante gente de Ribeirão. Foi uma ação bem social mesmo.”  

Atualmente, Victoria ocupa a quarta colocação do ranking brasileiro da modalidade no estilo park e batalha para garantir uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que deveria ter ocorrido neste ano, mas acabou adiado em razão da pandemia do novo coronavírus. Para isso, a garota tem se dedicado diariamente em sua rotina de treino. “A pista está ajudando bastante na evolução. Agora tem alguns parques que abriram, mas a maioria em São Paulo, é muito longe e não dá para ir treinar todo dia”, diz a jovem. “A pista está sendo ótima, estou treinando todo dia. Minha rotina é acordar, tomar café, andar de skate, almoçar, andar de skate até o final do dia”, conta em meio a sorrisos.  

Victoria lembra que ter uma pista em casa sempre foi seu sonho, desde quando começou a andar de skate aos 4 anos. “Como aconteceu tudo isso, foi tudo um caminho. Acho que realmente tinha que acontecer. Meu sonho foi realizado!” 

“Independente de qualquer coisa, você não pode desistir do seu sonho. Tudo que vier de ruim, como diz: ‘é pra mó de melhorar’. Então, jamais desistir de seu sonho, sempre estar ali focado no que você ama. Essa pandemia é mais um obstáculo para gente superar, porque tudo que vêm fácil, a gente não dá valor. Então, vamos superar esse obstáculo juntos”, finaliza.  
 

Mais lidas agora

Últimas em Cidades