Editorial

A raiz do problema

Da Folha de Ribeirão Pires

A população de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra já não sabem mais a quem recorrer para conseguir respostas concretas quanto aos problemas de infraestrutura, zeladoria e abastecimento de água enfrentados por eles há anos. Na edição de hoje, a Folha relata a situação vivida pelos moradores da Quarta Divisão e Barro Branco, ambos na Estância, e ainda da Vila Conde, Vila Tsuzuki e Pedreira, na cidade vizinha, mas é evidente que este cenário faz parte da vida de inúmeros munícipes.  

Em um ato de desespero, por não saberem mais com quem contar, essas pessoas procuraram a ajuda da nossa equipe para tentar solucionar tal situação - que causa incômodo das mais variadas formas. Segundo os inúmeros relatos recebidos, ao procurar uma solução - seja com a Prefeitura de seus municípios ou com qualquer outra entidade responsável -, o que eles recebem é um grande ponto de interrogação. Algumas vezes, são enganados. Em outras, são até mesmo desrespeitados, mas o que sempre paira é dúvida acerca de tudo isso.   

Pois bem, a questão que fica numa situação desta é a seguinte: para quem e por que esses órgãos trabalham? Não seria para beneficiar a própria população? Então, por que tratá-los como se fossem mentirosos, ou como se os problemas deles não fossem relevantes o bastante para serem resolvidos?  

Há tempos que a população clama por um atendimento digno, por atitudes mais completas e por menos profissionais vazios. É evidente que algo está muito errado, e não é só nos bairros de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Também há algo errado nas pessoas encubidas de tratarem destes assuntos. 

Mais lidas agora

Mais Editorias