Editorial

Nada justifica um assassinato

Da Folha de Ribeirão Pires

A semana começou com uma notícia triste, o assassinato de um policial militar morador de Ribeirão Pires em Rio Grande da Serra.

Os motivos do crime ainda são desconhecidos, e a única certeza é a de que um jovem policial perdeu a vida.

E a morte do PM segue nos noticiários, agora, com a possibilidade de ele ter sido assassinato após um “julgamento” feito por chefes de uma organização criminosa.

O “Tribunal do Crime” se reuniu, julgou e sentenciou o policial à pena de morte. Um “Tribunal” onde o que vale é a “Justiça” decretada pela chefia da facção.

Independente dos motivos que levaram o policial militar a uma boca de fumo em Rio Grande da Serra, a morte cruel e sanguinária deve ser repudiada.

O Brasil não pode mais conviver com crimes desta natureza, homens e mulheres sendo condenados a morte sem qualquer regra estabelecida pela Constituição.

O caso ocorrido em Rio Grande da Serra infelizmente não é exceção, constantemente os noticiários trazem relatos desses “julgamentos” que são acompanhados ao vivo pelos chefes da facção e registrados em vídeos.

Agora cabe a Polícia investigar o caso, confirmar se realmente o militar foi morto após a realização do “júri” e punir os culpados.

Mais uma vez fica a posição de que independentemente dos motivos que levaram a vítima ao local do assassinato, foi uma vida ceifada, aliás, de tantas outras, entre elas, jovens e adultos anônimos que pela dependência também acabam mortos.Uma triste constatação!

Mais lidas agora

Mais Editorias